Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Um Sonho Possível

Fiz especialização em Comunicação, Educação e Artes, mas não sou nenhuma cinéfila. Não estou aqui para escrever sobre a posição das câmeras, dos recursos visuais e sonoros utilizados ou até mesmo sobre a atuação dos atores. Mas, sobre o enredo do filme “Um Sonho Possível”.

A história quebra alguns paradigmas e demonstra um exemplo de humanidade. Também acaba com qualquer tipo de preconceito.

No nosso cotidiano, as pessoas olham com desconfiança para um jovem negro, sobretudo, se vem de um lar destruído. No filme, o personagem Michael Oher, vivido por Quinton Aaron revela um comportamento totalmente diferente. Ele é um jovem extremamente educado, bom, corajoso e carinhoso.

Do outro lado, está Leigh Anne (Sandra Bullock). Uma mulher loira, rica, decoradora e coberta de grifes e joias.

Entretanto, o bom gosto para se vestir e o dinheiro na conta bancária, não a impediu de ser uma mulher extremamente humana, dona de um coração enorme, boa mãe e esposa, super profissional e muito inteligente.

Por que estou dizendo tudo isso... A maioria das pessoas costuma julgar antes de conhecer.
Vale a pena assistir.

Depois de descrever minha opinião, vamos ao enredo: O adolescente Michael Oher, também conhecido “Big Michael”, por causa de suas características físicas – quase 2 metros de altura – filho de uma mãe viciada, sobrevive sozinho, vivendo como um sem-teto. Justamente por seu tamanho é matriculado em uma escola particular para jogar futebol americano.

Com notas próximas de zero, finge burrice e indiferença, mecanismos de defesa psicológica contra mais traumas. Afinal, passou a vida inteira pulando de lar em lar adotivos. Para ele, quanto menos envolvimento, menor será a dor.

Mas... em um dia gelado de inverno americano, a família de Leigh Anne Tuohy, encontra o jovem vestindo apenas bermuda e camiseta. Sem qualquer constrangimento, o leva para casa.

O que começa com um gesto de bondade evolui para algo maior, pois Michael passa a fazer parte da família Tuohy, apesar de terem origens bem diferentes.

Vivendo no novo ambiente, o adolescente tem de encarar outros desafios. E à medida que a família ajuda Michael a desenvolver todo o seu potencial, tanto no campo de futebol americano quanto fora dele, a presença de Michael na vida da família Tuohy conduz todos por uma jornada de autodescoberta.

quarta-feira, 10 de março de 2010

Primeira postagem

Olá, bom dia. Acabei de fazer este blog. Por ser jornalista já deveria ter começado a postar minhas ideias há bastante tempo, mas para tudo há o tempo certo.